Olá ! Sejam Bem Vindos | TELEFONE: (44) 3264-2018

HomePortal de NotíciasPolícia Civil mira ex-funcionários de cartório suspeitos de fraudar documentos e causar prejuízo de R$ 10 milhões no oeste do Paraná

Polícia Civil mira ex-funcionários de cartório suspeitos de fraudar documentos e causar prejuízo de R$ 10 milhões no oeste do Paraná

Polícia Civil mira ex-funcionários de cartório suspeitos de fraudar documentos e causar prejuízo de R$ 10 milhões no oeste do Paraná

A Polícia Civil cumpre uma operação, nesta quinta-feira (1º), contra ex-funcionários de um cartório em Santa Tereza do Oeste, na região oeste do Paraná, suspeitos de fraudes que causaram prejuízos de mais de R$ 10 milhões a dezenas de vítimas.

Ao todo, foram expedidos cinco mandados de prisão temporária e nove de busca e apreensão. As ordens estão sendo cumpridas em Cascavel, Santa Tereza do Oeste e Lindoeste.

Até a última atualização da reportagem, dois mandados de prisão tinham sido cumpridos.

Segundo a Polícia Civil, as fraudes envolvem falsificação de documento público, falsidade ideológica em procurações, escrituras e certidões de óbito.

Com os documentos falsos, os suspeitos faziam transferências de veículos e imóveis, simulavam a morte de criminosos para extinguir a punibilidade em processos criminais e ainda cometiam lavagem de dinheiro, conforme a polícia.

Os golpes eram praticados nas regiões de Cascavel, no oeste e Maringá, no norte do Paraná, além de outros estados, de acordo com as investigações.

Em março deste ano, três suspeitos que atuavam no cartório foram afastados por decisão judiciais, segundo as investigações.

A Polícia Civil informou ainda que os indivíduos ostentavam com padrões de vida não condizentes com o trabalho que realizavam nos serviços distritais, com posse de veículos de alto padrão e moravam em um dos condomínios mais caros de Cascavel.

Além disso, os investigados também possuíam uma garagem de veículos para venda e uma casa de carnes nobres – que estariam sendo utilizados para lavar dinheiro.

O objetivo da operação, conforme a Polícia Civil, é apreender documentos e aparelhos celulares que contenham provas e novas informações para dar continuidade ao processo de investigação.

Fonte: G1 Paraná.

Compartilhar