Olá ! Sejam Bem Vindos | TELEFONE: (44) 3035-7476

HomePortal de NotíciasJustiça rejeita ação por improbidade administrativa contra prefeito de Londrina

Justiça rejeita ação por improbidade administrativa contra prefeito de Londrina

Justiça rejeita ação por improbidade administrativa contra prefeito de Londrina

A Justiça rejeitou, nesta terça-feira (20), uma ação civil pública por improbidade administrativa apresentada pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) contra Marcelo Belinati (PP), prefeito de Londrina, no norte do Paraná.

Na ação, apresentada em agosto deste ano, o MP-PR alega que, apesar de ter encaminhado à Câmara Municipal dois projetos de lei visando aumentar o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) cobrado na cidade e reajustar o valor da taxa de coleta de lixo, o prefeito omitiu a irregularidade no próprio condomínio em que reside.

Segundo a Promotoria, o condomínio não era desmembrado em lotes, não sendo, portanto, atingido pelos reajustes propostos pelo Executivo.

O juiz Marcos José Vieira, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Londrina, argumenta na decisão que não há previsão legal que impusesse ao prefeito o dever de informar a situação irregular de seu condomínio antes de encaminhar os projetos de lei.

Para o magistrado, não há como confundir a moral administrativa com o senso ético de moralidade comum.

“Tudo somado, entendo não haver indícios, quer da existência da omissão juridicamente relevante atribuída ao réu, quer, ainda e principalmente, do dolo – mesmo que genérico – que teria supostamente animado a conduta de omitir o comportamento devido”, diz um trecho da decisão.

Vieira já havia negado o pedido de bloqueio de bens do prefeito no valor de R$ 1,6 milhão, no mesmo dia em que a ação foi ajuizada.

O promotor Renato de Lima Castro, autor da ação, disse que vai recorrer da decisão sob o argumento de que o prefeito, como morador do condomínio, tinha o dever de determinar que houvesse uma verificação e o pagamento de tributos do seu imóvel antes de determinar o aumento da tabela de valores.

Fonte: G1 Paraná.

Compartilhar