Olá ! Sejam Bem Vindos | TELEFONE: (44) 3264-2018

HomePortal de NotíciasCom 324 novas confirmações, Paraná chega a 2.270 casos de dengue

Com 324 novas confirmações, Paraná chega a 2.270 casos de dengue

Com 324 novas confirmações, Paraná chega a 2.270 casos de dengue

O número de casos confirmados de dengue no Paraná chegou a 2.270, de acordo com boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), nesta terça-feira (2). Na comparação com o último boletim, divulgado na semana anterior, houve aumento de 324 diagnósticos.

O período epidemiológico analisado começou em agosto de 2020 e continua até o final de julho de 2021.

Na atualização desta terça-feira, não houve registro de novas mortes. Veja abaixo o número de mortes causadas pela dengue, por cidade:

  • Foz do Iguaçu: 2
  • Apucarana: 1
  • Assaí: 1
  • Cambé: 1
  • Londrina: 1

 

Segundo o relatório, 335 municípios apresentaram notificações da doença e 198 têm casos confirmados.

O estado totaliza 24.791 notificações para a dengue – 1.748 a mais que o informe anterior.

Do total de casos confirmados, 1.869 são casos autóctones – quando as pessoas contraem a doença na cidade onde moram, e 13 casos são importados.

Conforme o relatório, 6.355 casos estão em investigação.

Regionais de saúde com mais casos de dengue

 

  • Londrina: 419
  • Foz do Iguaçu: 371
  • Paranaguá: 166
  • Campo Mourão: 166
  • Paranavaí: 161
  • Cascavel: 156
  • Maringá: 153
  • Umuarama: 103
  • Toledo: 71

    Zika e Chikungunya

    Os dados apontam 102 notificações para Chikungunya. Foram quatro casos confirmados, sendo três autóctones e um caso importado de outro estado.

    Em relação aos registros de Zika vírus, o Paraná tem 32 notificações e um caso confirmado – registrado em Cambé.

    Cuidado

    A Sesa afirmou que a maioria dos criadouros do mosquito estão nos domicílios, em recipientes e locais que acumulam água.

    “Estamos vivendo a pandemia pela Covid-19, mas outras doenças não pararam de fazer vítimas, a dengue é uma delas. Para prevenir a dengue, nós sabemos o que fazer, não é novidade. Precisamos acabar com espaços e objetos que acumulam água. Essa ação parece boba, mas é com a simplicidade que podemos eliminar as larvas do mosquito e não deixar que ele contamine pessoas”, disse o secretário de Saúde Beto Preto.

    Fonte: G1 Paraná.

Compartilhar